UMA REFLEX√O DE RICHARD DAWKINS ENCANTADORA!




UMA LINDA MENSAGEM DE LUZ INTEGRAL DE RICHARD DAWKINS!

“Nós estamos cercados de lindas formas infinitas; as mais bonitas e maravilhosas. Existe esplendor nessa visão de vida. Evolução: o maior espetáculo da Terra!”

RICHARD DAWKINS

Symphony of Science


CLINTON RICHARD DAWKINSFRS – Nasceu em Nairóbi em 26 de março de 1941.
 É um etólogobiólogo evolutivo e escritor britânico.

Concordo plenamente com o grande biólogo Richard Dawkins. A evolução é o maior espetáculo do Universo e da vida. Diferenças existem, mas o respeito às diferenças é fundamental. Devemos entender que diferenças não são defeitos. Hoje, temos que ter tolerância científica, tolerância espiritual, tolerância religiosa e adaptabilidade cultural. As intolerâncias religiosas e científicas já criaram muitos problemas.

São os campos mórficos e os campos morfogênicos que criam formas não vivas e vivas. O campo eletromagnético é fundamental. É nele que as partículas se formam.

Aliás, não podemos deixar de comentar trabalhos científicos maravilhosos feitos pela grande bióloga docente e pesquisadora Marian Stamp Dawkins sobre a consciência animal, o comportamento animal, a sinalização animal, o bem-estar animal, a ciência do sofrimento animal e finalmente a sincronia comportamental dos animais. A professora Marian Stamp Dawkins é do Departamento de Zoologia da Universidade de Oxford.


MARIAN STAMP DAWKINS - Ellina Marian Stamp Dawkins – Nasceu em 13 de fevereiro de 1945.
É professora de comportamento animal na Universidade de Oxford, onde lidera o Grupo de Pesquisa em Comportamento Animal.
Foi casada com Richard Dawkins.

UMA LINDA MENSAGEM DE LUZ INTEGRAL!

“Os animais são sencientes”.

Marian Stamp Dakins – Pesquisadora em Defesa dos Animais.

No cerne dos seus trabalhos se encontra uma pesquisa sobre a consciência do outro:

“Tanto quanto me recordo, tenho estado fascinada pela questão de saber aquilo que se passava no espírito dos animais. Numa das minhas recordações mais remotas, há um cercado com gansos, estou sentada ao lado, e me pergunto por que a passagem de um avião voando em baixa altitude parece perturbá-los muito menos do que a mim, sendo que eles deram uma olhada para o céu e viram, pelo o que tudo indica exatamente o mesmo objeto que eu. Eu tinha naquele tempo, como ainda tenho hoje em dia, o sentimento do mistério que encerra o fato de haver nascido num corpo específico, de só ter acesso à própria experiência particular, de não poder atingir a experiência direta de estar em outros corpos, os dos gansos ou de outros humanos”.


Para nós, os sistemas vivos são cognitivos. Os sistemas vivos são riquezas espirituais e materiais exercendo escolhas e tomando decisões. A ecologia comportamental dos seres vivos é encantadora. Os sistemas vivos são sencientes. Os sistemas vivos interagem com outros organismos e com o seu meio ambiente. Qualquer psicocélula que realiza autopoiese é consciente. Os sistemas vivos têm consciência de que estão vivos. As psicocélulas autopoiésicas são conscientes, autoconscientes, autorreferentes e autorreflexivas. As psicocélulas já apresentam instinto, aprendizado, cognição e memória. Elas já são sensitivas, perceptivas e já apresentam interação mentecorpo. A psicobioinformação e a psicobiocomunicação já ocorre nas psicocélulas. A comunicação fotônica foi uma das primeiras formas de comunicação celular.

Tudo no Universo e na vida é caracterizado por informação, energia e matéria. A informação não se perde nem mesmo dentro de um buraco negro.

Informação é informação, não é energia e nem matéria.

Informação é anterior a energia e a matéria.

Ondas de informação geram formas.

Tudo no Universo e na vida é caracterizado por holoinformação, holovibração, holomovimento, holomemória e holofluxo.

A consciência permeia toda a malha cósmica e toda a vida. As memórias da Natureza envolve o efeito astrofísico. É indiscutível hoje o fato de o genoma ser um campo de torção biológico memorial, isto é, contém registro da cumulativa evolução, transformação e adaptação sociobiológica associativa das psicocélulas procarióticas aos psicohumanos. Acredito que a adaptação seja psicocorporal nas espécies e em todos os sistemas vivos.

Devemos entender que as memórias são múltiplas e merecem um estudo muito profundo ainda não conclusivo nos seres vivos. Devemos entender que memórias já existem nas psicocélulas e não são exclusivas de seres com sistema nervoso ou cérebro. A memória do sistema imunológico nosso é psicocelular. A construção da nossa memória proteica durante o desenvolvimento embriológico humano serve para ensinar os nossos psicomacrófagos e psicolinfócitos a serem tolerantes com nossas proteínas. Na nossa vida temos uma memória de todas as proteínas que entraram em nossa composição durante a fase intra-uterina. Após o nascimento qualquer proteína ao entrar em contato com nossos inúmeros tecidos terá que passar por uma checagem. Se a proteína não consta na memória, a proteína será reconhecida como estranha, isto é, corpo estranho e será combatido até ser eliminado. As psicocélulas que fazem esse reconhecimento são os macrófagos. Os psicomacrófagos são os verdadeiros guardiões da memória imunológica ou memória molecular proteica no nosso corpo ou tecidos. Os psicomacrófagos são produzidos na medula óssea e são distribuídos pelos tecidos e por todo corpo. Os psicomacrófagos são células muito agressivas com função de fagocitose.

A organização anatômica das psicocélulas e dos tecidos do sistema imunológico é essencial para a geração de respostas imunes inatas e adquiridas eficazes. Essa organização permite o rápido direcionamento de psicocélulas efetoras da imunidade inata, incluindo psiconeutrófilos e psicomonócitos, para os sítios de infecção e permite que pequeno número de psicolinfócitos específicos para qualquer antígeno consiga localizar e responder eficazmente a tal antígeno independente do local em que ele é introduzido no corpo.

As psicocélulas que realizam a maioria das funções efetoras das imunidades inatas e adquiridas são os fagócitos, incluindo os psiconeutrófilos e os psicomacrófagos, APC incluindo os psicomacrófagos e as psicocélulas dendríticas e finalmente os psicolinfócitos.

As nossas conclusões mostram que as memórias interagem entre si. Nunca é demais lembrar que o que muda o Universo e a vida são ondas ou partículas de informação ativas muito sutis. Devemos entender que a realidade é uma projeção de campos sutis primários de informação. Os campos sutis fornecem os padrões, ou a base da informação que guiam as partículas elementares na formação da realidade física.

Temos que concentrar nossos estudos nas memórias informacionais. Os códigos atômicos e os códigos genéticos são códigos informacionais. As memórias são subatômicas, atômicas, moleculares, filogenéticas e culturais ou do campo mental ou campo espiritual ou campo da consciência. As memórias interagem, combinam e recombinam no Universo e na vida.

Som, luz e geometria estão interligados.

Som é informação. Luz é informação. Geometria é informação. Genética é informação. RNA primário e DNA secundário são moléculas orgânicas informativas. RNA e DNA são supercondutores de luz. O DNA é holográfico. O DNA é um arranjo espacial geométrico que define forma. O DNA é uma molécula muito importante para a vida, mas a molécula em si não tem vida. O genoma é uma memória atemporal. O DNA é uma molécula mutante nos sistemas vivos. A memória genética parece ser uma memória geométrica. O biocampo é responsável pela organização dos seres vivos. Campos mórficos e campos morfogênicos existem no Universo e na vida.

Os seres vivos são dinâmicos, interconectados, interdependentes, multidimensionais, biofotônicos, eletromagnéticos, bioquímicos e de origem hiperespacial.

Os seres vivos são seres de luz. Os procariotos foram os primeiros seres vivos a captar, armazenar e transmitir biofótons e a produzir bioluminescência. Os fótons de luz são os mensageiros do campo eletromagnéticos.

O campo da consciência é que guia o comportamento da psicocélula. A memória genética parece ser uma recordação geométrica, adaptativa e não comportamental. O genoma é uma herança genética. O campo mental ou campo espiritual ou campo da consciência interage com o campo de torção biológico genômico. Não existe nenhum fantasma na célula. O planeta Terra é psicomicrobiano. A biosfera é limitada por psicomicróbios. Muitos projetos de pesquisa atravessam as fronteiras dos temas. Na ecologia comportamental dos seres vivos uma ampla gama de organismos é estudada a partir dos psicoprocariotos. Precisamos entender melhor esses sistemas complexos. Tudo está integrado e interconectado. Tudo na vida é dinâmico e interdependente.

Existem mais coisas ocultas do que reveladas. Estamos engatinhando ainda nas ciências integrais e na espiritualidade integral.

A diferença entre nós e os outros sistemas vivos é uma questão de grau e não de qualidade.

A diferença entre nós e os outros sistemas vivos é uma questão de quantidade de informação, energia e matéria.

Somos Um!

Pertencemos a mesma árvore genealógica da vida. Existe um padrão de ramificação da árvore evolutiva. A história genética é encantadora. Os arquivos de DNA podem reconstruir a história da vida. Todos os seres vivos têm um ancestral comum que foi uma psicocélula procariótica. Somos proles de psicomicróbios. Foi a evolução biológica das psicocélulas e moléculas que criaram os carismáticos Adão e Eva africanos. Somos um consórcio gigantesco de psicocélulas procarióticas e eucarióticas entrelaçadas. Carregamos nosso passado conosco. Nossas psicocélulas eucarióticas são híbridas, isto é, são um jardim fechado de psicocélulas procarióticas. Essa história natural da vida é excitante e inspiradora. A gênese da vida foi caracterizada por interação mentecorpo celular, isto é, espirito e matéria celular.

Pertencemos a mesma “teia” ou “rede” senciente de vida. Os seres vivos são sencientes. As psicocélulas procarióticas e eucarióticas sempre cuidaram de suas próprias necessidades. A era das descobertas básicas ainda não chegou ao fim. Procurem ter uma mente aberta, inquiridora e desafiadora ou você não aprenderá nada. A vida transcende a si mesma. Hoje, sabemos que qualquer definição de vida é incompleta.

A verdade de hoje é a heresia de ontem. As psicocélulas já experimentam subjetivamente. Não podemos deixar de estudar o comportamento e a fisiologia das psicocélulas procarióticas e eucarióticas. Qualquer sistema vivo celular com mobilidade foge do que pode mata-lo. O respeito às diferenças é fundamental. Não pretendemos doutrinar ou impor nada a ninguém.  Pela nova ciência a vida é senciente. O espiritualismo e o materialismo estarão em sintonia no século XXI. A interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade serão as condições de maior sucesso na atualidade. O sagrado agora também é científico. Tudo muda. A única certeza que temos é que tudo vai mudar. A verdade é filha do tempo e não da autoridade. Precisamos restaurar sempre o conhecimento.

A consciência deve ser o nosso guia.

Desestruturar-se e reestruturar-se dói muito, mas é indispensável.

Os seres vivos são seres perceptivos, sensitivos, multidimensionais, interdimensionais, dinâmicos, complexos, interdependentes, biofotônicos, eletromagnéticos, bioquímicos e de origem hiperespacial.

Os seres humanos são antropocêntricos, egocêntricos e preconceituosos. A verdade clara que estamos percebendo mostra que vivemos em um mundo cada vez mais preocupado com as questões humanas. Devemos entender que os seres vivos são interdependentes. Os seres humanos geralmente estão cada vez mais maltratando, descartando e matando cada vez mais os “seres inumanos”. O bem-estar dos “outros seres inumanos” são os que são mais prejudicados. No meu “clube de consciência”, todos os seres vivos fazem parte. Essa é uma condição mais integral e mais fundamentada no momento. Precisamos reavaliar o que significa ser humano.

O paradigma atual é holístico, holárquico, holônico, holográfico, científico, simbiótico, universal, integral, ecumênico, cosmoético, noético e ecoético.

Somos assassinos em série da biosfera. Somos assassinos em série de ecossistemas complexos. O materialismo, o mecanicismo puro, nos conduziu a essa degradação ambiental que temos hoje.

 Devemos nos colocar um pouco na membrana, na carapaça, no revestimento externo ou na pele de cada espécie e começar a ver o mundo não somente através dos nossos olhos, mas também dos seres sensitivos, perceptivos e das interações entre mentecorpo que todos eles têm.

Devemos lembrar que todos os seres vivos lutam por sua sobrevivência. A psicocélula age e reage, além de fugir do que pode matá-la. Os seres não humanos já escolhem, tem distinção, julgamento, discriminação, tomada de decisão e psicoadaptação. Todos os seres vivos influenciam na vida uns dos outros. Os psicomicróbios sentem e evitam o calor e se aproximam ou se afastam da luz. Alguns psicoprocariotos chegam até a detectar campos magnéticos. A ideia de que os psicoprocariotos são simples máquinas desprovidas de percepção, sensação, inteligência e consciência são totalmente improváveis no século XXI. O que estamos afirmando não é solipsismo e sim realidade. Não estamos fazendo nenhuma projeção nossa para os psicoprocariotos. Eles já são seres que apresentam esse comportamento básico em grau menor. O que nos difere dos outros seres é em grau. Os psicoprocariotos já apresentam percepção de movimento, percepção sensorial e percepção extrassensorial. O julgamento da percepção existe em qualquer ser vivo. A ecologia da percepção precisa ser mais bem explorada no século XXI.

Os nossos deveres morais para com os seres inumanos são enormes. A consciência interage com a universalidade dos sistemas vivos em graus diferentes. A seleção natural por mutações aleatórias não pode produzir evolução de consciência dos seres vivos. Quem seleciona está vivo. Nada é por acaso.  Tudo que está vivo interage com uma mente criativa e intuitiva. A mente é primária e o corpo é secundário. A mente interage com todo ser vivo e o cérebro evoluiu nos animais. A interação mentecérebro é um processo evolucionário. A complexidade do comportamento dos seres vivos e as suas aptidões de se adaptarem a circunstâncias variáveis fazem parte dos indicadores que assinalam consciência. Existem muitos exemplos que os “seres vivos inumanos” apresentam instinto, aprendizado, cognição e memória. Além disso, “avaliam”, “escolhem” e “tomam decisões”. O bem-estar dos sistemas vivos é fundamental. Todos os sistemas vivos são seres pensantes. Todos os sistemas vivos são seres psíquicos. A “senciência celular” é um dos mais emocionantes estudos das ciências integrais. Essa nova compreensão da “senciência celular” tem enorme implicações sobre a vida de um modo geral.

Pensamentos não passam de uma dimensão do campo mental ou campo espiritual ou campo da consciência que interage com todos os seres não vivos e vivos.  Pensar e ser são a mesma coisa. Esse campo mental interage com todos os campos clássicos. É a soma das interações, combinações e recombinações incontáveis que produz o mais amplo nível da vida. Somos uma grande quimera evolutiva. O que estamos afirmando tem uma coerência enorme.

Luz e paz em seu caminhar!

José Eduardo Antonio de Mattos




José Eduardo Antonio de Mattos

Muita Paz e Luz.

Um beijo no coração de todos.

José Eduardo Antonio de Mattos
Angela Maria de Aquino Mattos